terça-feira, 9 de abril de 2013

... e progresso

se amo o brasil?

amo as paisagens de tirar o fôlego (clichê, eu sei. mas são). amo os animais feiosos que temos aqui que, de tão feiosinhos, são lindos.

e ponto.

não amo o ar que respiramos ou a água que bebemos. péssima qualidade. ou, se de boa qualidade são, afastado é o povo, menos alcanço tem, e menor ainda é sua notoriedade. pena.

não amo o brasil como um todo não. na verdade, acho um país grotesco. verdadeiramente, acredito serem as pessoas os monstros deste país.

como amar pessoas atrasadas, presas em preconceitos engolidos, não digeridos, sem refluxos? como amar pessoas sem a menor vontade política? como amar pessoas que tem medo de aparecer? como amar pessoas que acreditam que se calar, não comentar causos, é a melhor solução para que o outro não receba ibope? como amar pessoas que acreditam que acabar com a liberdade de escolha de outros é garantir moral? como amar pessoas que, sendo quem são, injetam discursos babacas, atrasados, baseados em dogmas, em "verdades", em palavras de alguns, sem ouvir as dos outros? como amar motoristas de carro, ônibus, vans, motocicletas, ciclistas, skatistas, patinadores e pedestres que INSISTEM em não pensar no próximo quando estão nas ruas? como amar quem julga sem conhecer? como amar quem não julga, depois de conhecer? como amar a falta de ajuda, de carinho, de atenção, de noção, de respeito e de educação?

como amar o "jeitinho brasileiro", esta ameaça que nos cerca desde sempre?

também não amo as regras. não me desce aceitar os salários díspares de governantes e catadores de lixo. de governantes e empregadas domésticas. de governantes e professores. de governantes e policiais. de governantes e médicos de rede pública. os salários díspares dos governantes.

ponto, né?

em compensação, me desce menos a galera apolítica. digo aqui, por conhecimento próprio: você NÃO precisa gostar de política para ser alguém politizado. a política brasileira é asquerosa mesmo. eu também não gosto. eu também prefiro ir a um bar com amigos. mas eu, diferentemente de muitos, vou a um bar e DISCUTO. não brigo: discuto. sento, peço minha cerveja (se for um bar que possa fumar, melhor), e começo a conversar. dificilmente, o assunto não cai em políticas públicas, declarações preconceituosas de pessoas poderosas ou midiáticas e problemas corriqueiros da cidade. (certa vez, percebi que um buraco grande em PINHEIROS - bairro nobre de são paulo - demorou 3 (três) meses para ser recapeado. cidades japonesas se reergueram depois de terremotos em um ano. CI-DA-DES). e digo mais: saio do bar e continuo o assunto com minha namorada, mãe, pai, irmão, amigos... dia seguinte e quantos forem necessários para que ninguém me aguente mais.

você aí: já pensou em tentar arrumar a sua cidade? seu bairro? eu já. da forma que consigo. da forma que tenho poder. pela internet e pelas ruas.

eu não fico calada. não gosto de quem fica. não gosto de quem "curte" e não "comenta", não "responde", não "compartilha", não "retuíta". nem que seja para ter opinião contrária. discussões pacíficas só existem para o bem. e o bem comum.

acabei (com vergonha pela demora) de assistir a um filme lindo: "milk". se não assistiu, recomendo fortemente. goste você de política ou não, se está lendo até agora, acredito que mente aberta tenha. então, continue com ela abertinha, bonitinha, pronta para novas ideias, novos movimentos, novas aflições e novas glórias. assista e manifeste-se.

saia do seu armário. no momento em que estamos, mais do que sempre, "privacidade é o inimigo" (sim, tirei do filme. me julguem).



e não amo nosso lema. precisamos DESORDENAR para termos PROGRESSO.

14 comentários:

Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Rodrigues disse...

ESSE NEGOCIO TEM QUE IR SENÃO Ó... (vejamos pelo lado positivo, eu vou tentar encurtar o texto e fazer ele mesmo confuso, desculpe caso eu não consiga...)

O seguinte é que eu não acho que o Brasil só tem paisagens e animais bonitos não. Acho que as pessoas que aqui residem tem MUITO o que mostrar, o que fazer, o que vestir a camisa e ir atrás de CONHECIMENTO e procurar o lado bom das coisas que tem aqui dentro e não lá fora.

"Beleza", a corrupção daqui tá nos primeiros lugares de "países corruptos", nos primeiros lugares de violência e infelizmente de analfabetismo e pobreza. No meu modo de ver, o melhor e o pior do Brasil está em um lugar: nos brasileiros, nas pessoas.

Acho a solidariedade do povo muito grande e o jeito de tratar as pessoas é algo que a gringa inveja e eu prezo muito. Eu gosto de observar a minha cidade e as pessoas, é tanta diversidade e tanta coisa em comum com pessoas totalmente distintas que cara, tu não encontra isso em qualquer canto. Eu sou muito apaixonada por aqui? Talvez, e com certeza o motivo disso são as pessoas e as histórias que já ouvi por aí, muitas vezes tristes.

O lado ruim e que devia ser levado com MUITO mais atenção é o descaso que as pessoas tem com o país e cidade onde vivem, cara, SÓ reclamam, não catam um papel que veem na rua porque 'não foram eles que jogaram', não levam a bandeja da comida pro lixo porque 'tem quem ganhe pra fazer isso'... REALLY? São essas, as mesmas pessoas que dizem que o país não funciona, que não querem e não sabem nada de política mas ora... Como quer cuidar daquilo que não sabe plantar? Prefere votar no "menos pior" ou "naquele que tem cara de bonzinho" do que GANHAR 5 minutos de um dia pra ver o que o cara já fez? Essa passividade, egoísmo consigo mesmo é o que me deixa p* da vida e desgostosa.

Sá, isso ficou grande por um motivo e eu juro que ele é muito bom: ninguém gosta de conversar sobre isso. O que me deixa triste e desgostosa mas QUE BOM ter textos assim pra ler e DISCUTIR.
Valeu por compartilhar suas ideias e espero não ter te alugado muito com as minhas :p
Beijão!

Francine Pivaro disse...

Li até o final porque achei legal falar disso. Eu particularmente o-di-a-va política até o dia em que comecei trabalhar em uma ong onde tínhamos parcerias com a prefeitura em alguns projetos e eu tive que lidar com assuntos políticos e era cercada de vereadores, frequentava a Câmara Municipal e a Prefeitura da minha cidade e tinha contato com muitos funcionários públicos... E posso falar? Hoje agradeço por um dia ter trabalhado la e, por conta disso, ter tido interesse pelos assuntos que envolvem a lamentável política do nosso país.
É uma pena que as pessoas atualmente ignorem por pura preguiça porque tudo isso só diz respeito a nós mesmos e se não fizermos por onde NINGUÉM vai fazer! Como comentei contigo no twt, o final do filme Milk é trágico e é uma pena que tenha sido de verdade (o final dele), mas concordo quando disse que em grande parte foi muito bom tudo o que aconteceu por que ele acreditou e correu atrás daquele ideal.
Falta tanto isso nas pessoas atualmente. Querem mudança mas não começam nenhuma, nem por si próprio!
Sou dessas também Saa, que quando pega pra falar sobre essas coisas, começa e não para mais porque tem tanta coisa pra ser dita e discutida que não da pra entender como as pessoas simplesmente deixam quieto e boa... Enfim, espero que mais pessoas leiam e tenham mais coisas pra dizer aí
=]

sassá disse...

respondendo 1:

vamos lá: "ir atrás" é o que MAIS falta aqui. as pessoas estão SIM acomodadas demais, passivas demais. e não vejo problema de ver o que existe fora, se isto for o que de mais humano há.

eu adoraria conhecer o lugar que mora. aqui em sampa, não existe muita solidariedade não. em lugares específicos, existe - e muita. mas não é o "normal" de se encontrar não... :( e, infelizmente, sampa é uma das maiores cidades, né?

não concordo 100% com a parte "ruim". eu reclamo. e não jogo lixo no chão e brigo com quem o faz. com quem não faz nem sua parte e exige dos outros.

sei que meu texto ficou "pesado", mas depois de milk... entristeci com a passividade, saca?

Pontinhos....... disse...

Concordo com você... Eu mesma por muito tempo me coloquei em uma situação de comodismo e acomodação. Hoje ando incomodada e inconformada com muitas coisas.
Espero que outros como eu levantem do berço espllêndido em que se encontram deitados eternamente e lutem pelas coisas, causas e verdades que acreditam.